sexta-feira, 15 de outubro de 2010

coimbra tem mais encanto na hora da "sua " despedida



razoes de força maior obrigam-me a reagir

Quando decorria um combate POLITICO, leal, mas duro, para as eleições da Federação Distrital do Partido Socialista, fui presenteado por artigo de opinião (D.C 8.10.10) escrito pelo Exmo. Senhor (ainda) Deputado ,Dr. Vítor Batista , utilizando o pseudónimo de Armanda Gavião, ilustre socialista deste Concelho, mas cuja provecta idade, cultura e senilidade, não lhe permitiriam escrever tais barbaridades.

Hesitei em dar o desprezo a tais palavras, até porque elas denotavam o desespero de quem previa a derrota, mas como continham ataques ao meu carácter não podia calar-me.

Não entendo a política com a arte de pagar favores, estou na política e no Partido Socialista por princípios, valores e convicções. Se pretendesse protagonismo não teria abandonado a Direcção do Hospital e não teria recusado os lugares que o Exmo. Senhor (ainda) Deputado me ofereceu, para que me calasse.

Nada devo ao referido (ainda) Deputado, nem na saúde nem na doença.

Não tenho dividas a pagar!!

Nem lhe devo o agradecimento pelo telefonema de melhoras que nunca fez!!

Gratidão por quem me quis fazer o funeral e eu ainda vivo? Seria para rir se não fosse tão macabro!!

A dignidade das pessoas mede-se pelas atitudes e pelos comportamentos e neste campo peço meças ao Senhor (ainda) Deputado.

Será que tenho que recordar as promessas de emprego em troca de votos, será que lhe tenho eu recordar os jantares na Praia, será que lhe tenho que recordar as calunias, mentiras e as ofensas feitas a camaradas seus , será que tenho que lhe recordar as atitudes antidemocráticas para com o seu partido, será que lhe tenho de recordar o que me disse de camaradas seus? será que lhe tenho de recordar o que de si dizem os seus apaniguados ?

Sobre o Hospital de Cantanhede não me obriguem a falar !!!

Porque tenho dignidade, disse no lugar próprio e no tempo certo, as razoes porque me desvinculava do projecto politico do Senhor (ainda) Deputado e do rumo que o Partido levava para Cantanhede: (Junho 2009)

“…E foram algumas dessas árvores, anquilosadas e carunchosas, que se consideram donas da floresta e donas do PS, que nem souberam respeitar o sofrimento e o diagnóstico reservado que tinha na altura, que tudo fizeram e alimentaram a minha saída.

Trataram-me como produto “disposable”

Pensam ser a árvore mais importante da floresta

Não se apercebem que o seu protagonismo é conjuntural

Querem transformar-se em centro de emprego ou plataforma para a CUNHA e com isso pensam ter as pessoas subjugadas e dependentes

Pensam que a idade é um posto

Ou pensam que os “novos fariseus” serão os novos donos….

…e porque não quero ser contaminado por essa espuma negra e suja que flutua neste PS, porque não quero conviver com este lixo tóxico, porque não quero fazer parte deste eucaliptal, que tudo pretende secar á sua volta, não contem comigo para fazer parte de nada onde essas pessoas estiverem”

Ser digno é na hora de tomar decisões, ser capaz de não atraiçoar a consciência e a honra e fazer o seu acto de contrição.

Felizmente acabou esse ciclo .. …aconteceu o que era previsível…. De derrota em derrota até á derrota final

Aos mortos nada se recusa… nada se esquece …mas tudo se perdoa

O Partido Socialista vive, em Coimbra, momentos de alegria e responsabilidade, todos somos pouco para reconstruir o partido e leva-lo de novo á senda das vitórias . A hora é todos nos unirmos em volta da equipa vencedora, mobilizarmo-nos para construir um PS ganhador

Em Cantanhede, como em todo o Distrito, renasce a esperança de voltarmos a construir um Partido Novo, credível , responsável e que dê voz aos militantes

Coimbra tem mesmo mais encanto na hora da sua despedida!!!

Sem comentários:

Enviar um comentário